ANDI - Agência de Notícias dos Direitos da Infância

http://www.andi.org.br/

Saiba tudo sobre a situação da criança no mundo. Clik aqui para traduzir o Blog. Obrigado.

Clik para ouvir !!!

domingo, 14 de fevereiro de 2010

O custo da brincadeira da ganância : Cerca de 14 milhões de latino-americanos voltam à pobreza

Fico admirado com estas notícias .
Como existe pessoas egoísta e sem amor.
Estas pessoas que nunca saberão o que é o amor.
Você já imaginou quantas crianças morreram e vão morrer em consequencia desta crise produzida pela insensatez humana?
A incensibilidade do ser humano produz pobreza e morte como mostra o relato abaixo.


Uol - Notícias
14/02/2010 - 21h51


La Paz, 14 fev (EFE).- Cerca de 14 milhões de latino-americanos voltaram à situação de pobreza como consequência da crise econômica, segundo estimativas recentes do Banco Mundial, afirmou Felipe Jaramillo, o diretor desse organismo para a Bolívia, Equador, Peru e Venezuela, em entrevista publicada hoje pela imprensa local.
"O tema que nos preocupa muito é a pobreza. Como Banco Mundial, fiscalizamos muito e calculamos os indicadores de pobreza. Nos agrada muito ver que estávamos cerca de oito anos seguidos diminuindo a pobreza na América Latina e a crise interrompeu isso", afirmou Jaramillo ao jornal "La Razón".

Segundo o diretor regional do Banco, a América Latina retornou em 2009 aos níveis de pobreza de 2007, o que significa que foram perdidos os avanços de dois anos. Isso se deve, entre outros motivos, à impossibilidade de gerar novos empregos e inclusive em alguns casos ao aumento do desemprego, como efeito da crise.

Para Jaramillo, o desemprego subiu principalmente nos países mais afetados pela crise econômica como o México ou a região da América Central e muitas das ilhas do Caribe, enquanto afetou menos os países que puderam reagir bem à crise, sobretudo na América do Sul.

No entanto, destacou que, em linhas gerais, a América Latina pôde reagir à crise econômica graças a "grandes planos" e em casos como os do Brasil, Bolívia, Peru, Colômbia e Chile, "com transferências diretas às famílias mais pobres para evitar que possam ficar sem recursos para se alimentar".

Para solucionar esse retrocesso nos níveis de pobreza, Jaramillo defendeu "retomar o crescimento que havia desde a década de 1960".

"Fazia 40 anos que não tínhamos crescimentos em nossas economias tão altos e por isso a luta contra a pobreza avançou tanto", assegurou.

Além disso, ele defendeu uma diversificação da economia na região que "permita gerar mais emprego e que não esteja exclusivamente associado às (exportações de) matérias-primas".

Nenhum comentário:

Postar um comentário