ANDI - Agência de Notícias dos Direitos da Infância

http://www.andi.org.br/

Saiba tudo sobre a situação da criança no mundo. Clik aqui para traduzir o Blog. Obrigado.

Clik para ouvir !!!

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Lamento Informar Que Meu País é Uma Vergonha e Precisa de Uma Limpesa Urgente em Nossas Lideranças

Sinto muito em dizer que nossos líderes são pessoas desavergonhadas e sem pudor.
Não foi para isso que eu lutei por democracia no tempo da ditadura.
Precisamos Urgente de mudanças no regime político do Brasil.
Vamos trabalhar firmes pelo voto distrital e reduzir a ZERO o poder destes partidos políticos que nunca lutaram a favor do povo brasileiro e sim pelos seus próprios interesses. Verdadeiros responsáveis pelas mortes de milhares de crianças e jovens abandonados pela educação de péssima qualidade, onde aprendemos a sermos empregados e abaixar nossas cabeças e nunca sermos patrões e líderes.
#votodistrital

Ed

Justiça Chilena aguarda documento do Vaticano sobre caso de pedofilia

Ag. Angola Press
Santiago do Chile - A juíza chilena Jéssica González declarou nesta terça-feira que espera uma resposta oficial do Vaticano para poder encerrar a investigação que revisa as acusações contra o padre Fernando Karadima por abusos sexuais.

 A magistrada considerou que, seis meses após a solicitação da exortação internacional de acesso à investigação eclesiástica, já é tempo de receber o documento da Santa Sé.

 "Não chegou a mim a resposta da exortação internacional a respeito do que se solicitou em Maio, e há algumas pessoas citadas que é o que ainda vai ficando pendente, e ambas as partes têm conhecimento do sumário", afirmou.

 O documento, solicitado em Maio, trata da compilação da investigação empenhada pela Igreja Católica que neste ano condenou Karadima a uma vida de oração e retiro por causa de abusos sexuais e de poder.

 González também solicitou ao Vaticano a intervenção da Pia União Sacerdotal, do seminário local, que manejava grandes quantidades de dinheiro.

 "Não posso encerrar o sumário se não chega a mim a exortação internacional", justificou, indicando que, "se demorar muito, teria que pedir explicações".

 Além de ser penalizado na Igreja Católica, Karadima também foi acusado e processado na Justiça chilena após testemunhos de quatro vítimas, hoje adultas.

 Na época dos crimes, ele era responsável pela Igreja do Sagrado Coração de El Bosque e um dos sacerdotes mais influentes dos anos 1980 como formador de outros religiosos, entre eles cinco bispos actuais.

 As denúncias comoveram a sociedade chilena e levantou críticas contra a hierarquia católica do país, que a acusavam de não ter feito nada quando as denúncias foram feitas, em 2004.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Escolas receberão Campanha contra pedofilia

Por Assessoria de Comunicação - MPF
A campanha "Navegação Segura e Combate à Pedofilia na Internet" entrou em nova fase com o lançamento do material educativo impresso para orientar pais, educadores, crianças e adolescentes. A solenidade foi realizada, nesta quarta-feira (24/8), no Plenário da Assembléia Legislativa de Santa Catarina (ALESC). A campanha é desenvolvida pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) com apoio da ALESC, da Escola do Legislativo e da ONG SaferNet/Brasil.


O Centro de Apoio Operacional da Infância e Juventude (CIJ) do MPSC desenvolveu o material gráfico, impresso em parceria com Assembléia Legislativa. Desta forma, foram produzidos 100 mil cartazes e 750 mil folders, além de 400 mil cartilhas desenvolvidas pelo Instituto WCF Brasil, que serão distribuídos nas escolas públicas municipais para serem aplicados de forma multidisciplinar, no intuito de esclarecer sobre a necessidade de utilizar a internet com segurança e sobre os eventuais riscos do ambiente virtual para crianças e adolescentes.


"É missão constitucional do Ministério Público proteger crianças e adolescentes", lembrou o Procurador-Geral de Justiça, Lio Marcos Marin, na solenidade, na qual informou, ainda, que mais de 170 Municípios catarinenses já solicitaram ao CIJ o material da campanha - entre eles Joinville, Blumenau, Florianópolis, Criciúma e Chapecó, que somam na rede municipal de ensino mais de 300 mil alunos.


A Coordenadora do CIJ, Promotora de Justiça Priscilla Linhares Albino, ressaltou a importância do material que será aplicado em sala de aula. "A abordagem do tema precisa enolvertoda a sociedade catarinense. Com a divulgação deste material nas escolas, os educadores terão condiçõesde auxiliar crianças e adolescentes na compreensão do que é pedofilia e abuso sexual, focando sempre a prevenção", salientou a Promotora de Justiça. Compuseram a mesa da solenidade, ainda, os Deputados Estaduais Moacir Sopelsa, Nilson Gonçalves, Reno Caramori.


O CIJ disponibiliza, ainda, um site no Portal do MPSC onde estão publicadas diversas informações educativas sobre o tema e pelo qual também é possível fazer denúncias. No site são fornecidas dicas para os pais, educadores e para o público infantojuvenil. A ferramenta também tem como objetivo fortalecer a rede nacional de órgãos dedicados ao combate de atividades que se servem da Internet para ferir direitos caros à infância e juventude.

terça-feira, 23 de agosto de 2011

ASSFAPOM Promove Marcha contra a Pedofilia: Ação social visa o combate a um dos mais perversos crimes, o da pedofilia e violência sexual contra a criança e o adolescente

A ASSFAPOM representa além dos praças, os familiares da Policia e Bombeiro Militar do Estado de Rondônia, com essa ação social visa o combate ao que considera um dos mais perversos dos crimes, o da pedofilia e violência sexual contra a criança e o adolescente.

A pedofilia quando na vida de uma criança vem a prejudicar todo o seu futuro, os laços constituídos pelos familiares desde o nascimento, quando desrespeitados dentro do próprio lar, jamais poderão se reconstituir.

A aproximação dos pais para com os filhos é a maior arma contra a pedofilia, pois o silêncio e a falta de atenção dos pais transformam a vida de uma criança em uma verdadeira fonte de pesadelos, pois a quem poderá recorrer senão aqueles que os oferecem a proteção.

Convocamos aos associados que não estiverem de serviço que compareçam à Estrada de Ferro Madeira Mamoré, às 08:30hs para a Marcha contra a Pedofilia, sua participação é de fundamental importância.

Por Que Alguns Juízes Não Conseguem Enchergar o Perigo?

Câmara Criminal mantém prisão de advogado acusado de crime de pedofilia.

A 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça negou habeas corpus ao advogado Airton José de Sousa, acusado de ter abusado sexualmente de um sobrinho. O habeas corpus foi ajuizado no TJMA contra a decisão da juíza da 11ª Vara Criminal da Comarca de São Luís, Rosária de Fátima Almeida Duarte, que, a pedido da Policia Civil e com concordância do Ministério Público Estadual (MPE), determinou a prisão do réu.

No pedido, a defesa alegou que Sousa estaria sofrendo constrangimento ilegal por parte da Justiça de 1º Grau, alegando não existir requisitos para mantê-lo preso, em razão de ser réu primário, ter residência e emprego fixo. Se o habeas corpus fosse aceito, ele poderia permanecer em liberdade até o julgamento da ação penal.

Durante a sessão realizada nesta terça-feira,23, o desembargador Raimundo Melo, relator, entendeu que há necessidade da manutenção da prisão, em razão da garantia da ordem pública, por conveniência da instrução criminal e para assegurar a aplicação da lei penal, vez que se o paciente for solto representará um perigo para a vítima e seus familiares, podendo voltar a delinqüir contra a própria vítima, já que não foi a primeira vez que o fato ocorreu.

Melo acrescentou, ainda, que acusado e vítima possuem parentesco e o ambiente familiar torna-se prejudicial à busca da verdade real do processo penal.

Ao final do julgamento, acompanhando parecer da Procuradoria Geral de Justiça, Melo votou pela denegação da ordem, e por manter o advogado Airton preso até o julgamento da ação de 1º Grau, sendo acompanhado do Desembargador Raimundo Nonato de Sousa. Contrariando este entendimento o Desembargador Lourival Serejo, votou no sentido de por em liberdade o advogado Airton. 
 (Ascom/TJMA)

PS. E assim nossas crianças correm o risco e não podem se defender.
     Lamentável esta oposição, ainda bem que a maioria teve lucidez.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Polícia procura acusado de pedofilia em Pindoretama


A Polícia Civil do município de Pindoretama, na Região Metropolitana de Fortaleza, está a procura de Francisco de Assis Alves, conhecido por “Diassis”, de 56 anos, suspeito de molestar sexualmente várias crianças com idades entre 5 e 12 anos.

De acordo com a delegada Ana Cristina, titular da delegacia de Pindoretama, o homem passou a ser investigado após denúncias de familiares das crianças violentadas. Ainda segundo a delegada, o homem vendia pastéis na praça da cidade, frequentava uma igreja evangélica e emprestava bicicletas para as crianças da região.

Devido a sua aparente boa conduta, muitas mães confiavam nele e deixavam seus filhos com o suspeito. Durantes as investigações, foi descoberto que o homem dopava as crianças misturando comprimidos psicotrópicos aos refrigerantes que oferecia a elas.

Na casa do agressor, a Polícia encontrou cuecas infantis e vários comprimidos tranquilizantes, escondidos em um envelope. A população, revoltada, acabou destruindo a casa de Diassis.

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Crianças ansiosas demais – cuidado!

Inquietude, irritabilidade, dificuldades alimentares, birra, insatisfação, dificuldades de atenção. Estes podem ser os resultados acarretados pelo excesso de ansiedade nas crianças, um problema que vem aumentando no Brasil.

O número de crianças brasileiras ansiosas demais aumentou 60% nos últimos dez anos, de acordo com um levantamento realizado pelo Centro de Atendimento e Pesquisa de Psiquiatria da Infância e da Adolescência (Capia), da Santa Casa do Rio de Janeiro.

No mundo todo, segundo a Associação Americana de Transtornos de Ansiedade, de 9% a 15% da população de 5 a 16 anos de idade sofrem desse mal. Por que essas crianças estão se tornando tão ansiosas, tão cedo? Para especialistas em Desenvolvimento Infantil, os estímulos recebidos na primeira infância (período de 0 a 3 anos de idade) ajudam a responder essa questão.

Por isso, pais e mães devem estar atentos! Confira a seguir a entrevista com o Dr. Saul Cypel, neuropediatra da Fundação Maria Cecília Souto Vidigal sobre o assunto.

- Quais são especificamente os estímulos que podem fazer as crianças crescerem com tanta ansiedade? Brigas entre o casal, expectativa dos pais diante das notas dos filhos, por exemplo?

Dr. Saul – A ansiedade em níveis adequados é saudável e mobiliza o indivíduo nas suas atividades diárias. Torna-se exagerada quando a criança desde os seus primeiros anos de vida não foi incentivada a seguir regras, a atender aos limites do que pode ou não, a entender que nem todos os seus desejos podem ser satisfeitos, mostrando-se deste modo inábil para lidar com as frustrações. Precisa ir aprendendo com seus pais principalmente as habilidades do dia a dia como, por exemplo, banhar-se, vestir-se, arrumar seu quarto e sua mala de escola, com isso adquirindo autonomia. Quando isto não ocorre, a criança despoja-se destes recursos e ficará receosa diante de novas solicitações, o que lhe gerará insegurança e ansiedade exagerada. Certamente, expectativas dos pais com relação à produção escolar também fomentarão uma ansiedade maior, assim como outras atividades excessivas ou exageradas. O ambiente familiar seguro, no qual os pais se respeitem e lidem de modo adequado com as dificuldades naturais da vida, será mais acolhedor para as dificuldades da criança, mostrando e ensinando-a como lidar com as adversidades que possam estar ocorrendo, o que lhe irá atenuar e permitir uma melhor lida com a ansiedade.

- O que caracteriza a ansiedade nas crianças? Com que tipo de comportamento elas demonstram esta ansiedade?

Dr. Saul – As expressões de ansiedade na criança ocorrem de modo diferente nas várias idades. Nos bebês e lactentes poderemos observar choro freqüente, dificuldades no sono e alimentares. Já na criança maior, com 2 a 3 anos, verificamos inquietude, solicitação freqüente do adulto, irritabilidade, dificuldades alimentares, não atendimento a regras com episódios de birra. Já com 5 a 6 anos, verificamos curta atenção com permanência limitada e troca freqüente de atividades, inquietude, não respeito à privacidade do outro, insatisfação e insegurança. Nos escolares, acima de 7 anos, observam-se dificuldades na atenção, principalmente para tarefas de rotina e escolares, inquietude, rapidez exagerada e displicência em suas atividades, dificuldades na socialização, etc…

- Quais as consequências do excesso de ansiedade nas crianças? Elas podem tronar-se jovens e adultos inseguros? Podem desenvolver algum tipo de patologia? Podem apresentar, por exemplo, tiques nervosos ou manias como roer as unhas?

Dr. Saul – A ansiedade exagerada poderá trazer diversas repercussões prejudiciais para o desenvolvimento do indivíduo. Sabemos que, do ponto de vista neurobiológico, a ansiedade interfere na boa organização futura dos circuitos cerebrais limitando a interrelação dos neurônios. Isso irá trazer prejuízos de ordem funcional prejudicando a capacidade para pensar e de avaliar as condições mais complexas que a vida irá lhe exigir. Os tiques são uma expressão de ansiedade elevada, mas poderão ocorrer várias formas de psicopatologias de severidade muitas vezes complexa.

- Qual o papel da mãe especificamente nessa questão, já que elas, normalmente, são as que passam maior parte do tempo com os filhos pequenos e mantêm certa “conexão” psicológica com eles. Se gritam muito quando ficam nervosas, por exemplo, ou se são calmas demais, como acabam influenciando na ansiedade infantil?

Dr. Saul – A mãe e também o pai são figuras fundamentais para a criança, pois são eles que vão moldar o seu desenvolvimento. É importante que se informem, seja por meio de profissionais e mesmo de leituras especializadas, de como se dá este desenvolvimento e que função desempenham neste processo. A adequação das suas atitudes, o acolhimento das necessidades, a convivência com a insegurança e o prazer, o manejo com os desejos e a frustração, são situações com as quais estarão lidando diariamente e, com certeza, estarão oferecendo aos seus filhos a oportunidade deste aprendizado que, no futuro, lhes deixará em condições de conviver e lidar com as situações de maior complexidade.

- Qual o estímulo correto que a criança deve receber para não tornar-se ansiosa além da conta?

Dr. Saul – Estímulos que podem ser propostos: participação tanto de mãe e pai no processo de desenvolvimento da criança; colocação de regras e limites; acolhimento adequado para as ansiedades (medos, insegurança); boa tolerância à frustração; programas individualizados com cada filho. Inserir o pai nestas atividades; incentivar a autonomia saudável.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Homem que se passava por evangélico na internet é preso suspeito de pedofilia

Estadão/EA

A Polícia Civil prendeu na tarde desta quarta-feira, 17, em São Paulo, um homem de 53 anos suspeito de se passar por evangélico em uma sala de bate-papo na internet para abusar sexualmente de uma garota de 10 anos.

O motorista Elias de Jesus foi preso hoje quando pretendia se encontrar com a estudante menor de idade. O contato aconteceu na web. Ele dizia para a menina que era evangélico. O homem passou a oferecer presentes e começou a manter diálogos sexuais com ela

Integrantes da Delegacia de Repressão a Crimes Cometidos por Meios Eletrônicos (Dig) e do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic) passaram a acompanhar Elias. A detenção foi realizada na estação Armênia do Metro, na zona norte, local escolhido pelo motorista para encontrar a possível vítima.

O plano de aliciar a menina começou há uma semana. Durante três dias, Jesus pode envolver a estudante com suas propostas sem que a família percebesse. A linguagem erótica, entretanto, foi percebida pelo moderador do chat. O homem foi preso. A polícia também apreendeu o computador dele.

Jerusalém Celestial

As vezes me sinto cansado demais para prosseguir. Sim, busco em DEUS as forças necessárias para continuar. Mas um dia estarei andando fortalecido pelo amor de meu DEUS, nas ruas da Jesuralém Celestial.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Bebê de 1 ano é encontrado morto com sinais de agressão no Paraná; pais estão desaparecidos

Dimitri do Valle 
Especial para o UOL Notícias 
Em Curitiba
Um bebê de um ano e nove meses foi encontrado morto na tarde desta sexta-feira (12), em Campo Largo, região metropolitana de Curitiba, aparentando hematomas na cabeça e no rosto, além de sinais de mordida pelas pernas e barriga.

A polícia trabalha com a hipótese de homicício, já que os pais do menino, que trabalham na área rural do município cortando madeira, estão desaparecidos. O corpo da criança foi localizado no berço da casa dos pais. Um dos avós acionou as polícias Civil e Militar e havia dito no chamado de emergência que o bebê havia se engasgado.
Os policiais foram até o bairro Riva Bem e chamaram pelos moradores do lado de fora. Como não ouviram resposta, arrombaram a casa e localizaram o bebê morto no berço com os ferimentos aparentes.
Até esta noite, o casal --um rapaz de 22 anos e a esposa, de 23-- não tinha sido localizado, informou ao UOL Notícias um policial de plantão na delegacia da cidade. "Eles já são considerados foragidos", disse o superintendente da delegacia, Juscelino Bayer.

A polícia ainda não tem detalhes de como tudo aconteceu e a causa exata que levou ao suposto espancamento da criança. O corpo do bebê foi transferido para o Instituto Médico Legal de Curitiba (IML), onde deve passar por exames para determinar como as agressões e até supostas torturas ocorreram.
Marcas semelhantes a queimaduras feitas com pontas de cigarro também foram descobertas no corpo do bebê. As primeiras informações colhidas pela polícia no local onde o corpo foi encontrado apontam que a criança teria sido morta na manhã desta sexta-feira.

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Criança adotada transforma sua existência, diz pai de 25 "filhos do coração"


HELOÍSA NORONHA
Colaboração para o UOL   

Como maneira de agradecer o destino, a sorte ou, quem sabe, a oportunidade de ter uma vida melhor homens que foram adotados na infância, como o psicólogo Ismael Ferreira Santos, de 38 anos, resolveram não encerrar em si esse ciclo de carinho. Como? Adotando também.

"Fui educado por um casal que não podia ter filhos. Tento me espelhar no caráter e na generosidade deles. Foi por isso que, mesmo com condições de ter filhos biológicos, resolvi adotar a Caroline Beatriz há um ano meio", conta. Casado há 14 anos com uma professora universitária, Ismael se cadastrou, com a mulher, em programas de adoção em diversos Estados do país. Mas foi ao ajudar uma amiga que o casal conheceu a menina, hoje com 13 anos. "Nos demos tão bem que parece que ela sempre esteve conosco", afirma.

O auxiliar de escrita fiscal Josué Ribeiro da Silva, 44 anos, de Cubatão (SP) foi adotado por uma amiga da mãe quando ainda era bebê. Ele descobriu a história de sua origem por terceiros e sofreu muito com a situação. Sua mulher, a dona de casa Janice de Jesus Silva, 42, conhecia a mãe biológica do marido e tratou de ajudar a selar a paz entre eles. "Hoje convivemos todos numa boa", garante.

O casal, que sempre gostou de crianças, não pôde ter filhos pois Janice precisou retirar o útero. Com isso, a decisão de “encontrar um filho do coração” não demorou a ser tomada: Cauã, 3 anos, entrou para a família ainda bebê. Como os trâmites para sua adoção demoraram, os dois acabaram se encantando por outro garotinho do mesmo abrigo. “Ele veio passar o Natal e o Ano Novo com a gente. Nos apaixonamos e decidimos adotá-lo também”, explica Josué. Sorte de Jorge Luiz, hoje com 5 anos.

Para o pedagogo mineiro Roberto Carlos Ramos, 45 anos, cuja vida se transformou no filme “O Contador de Histórias” (2009), de Luiz Villaça, todo mundo pensa que adotar é mudar a vida de uma criança. “Não é. É aquela criança que transforma a sua existência de uma maneira inimaginável. Acredite: você recebe em dobro todo o amor e afeto que dá”.

Deixado em uma entidade assistencial aos 6 anos de idade pela mãe biológica, Roberto Carlos tentou incontáveis fugas até os 13 anos. Era tido como irrecuperável, até a pedagoga francesa Margherit Duvas, morta em 1983, aparecer em sua vida. Ela decidiu ficar com Roberto e educá-lo como seu filho.

Anos mais tarde, já formado em Pedagogia, ele fez estágio justamente na instituição em que havia passado a infância. “A história se repetiu. Conheci um menino problemático, complicado mesmo. Acabei levando-o para fazer um lanche em minha casa e ele nunca mais saiu de lá”, conta Roberto Carlos que, tempos depois, também adotou o irmão do garoto. “Decidi educá-los e prepará-los para o mundo”.

Ao todo, ele tem 25 filhos adotivos. “E já sou avô de coração de quatro netinhos”, conta, orgulhoso. A prole toda mora em Ibirité, na região metropolitana de Belo Horizonte, e sempre se reúne. “Sou realizado, porque vejo que meus filhos são homens de bem e felizes. Agora posso aproveitar para namorar um pouquinho”, brinca ele, que nunca teve tempo para se casar.

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Dada como morta, recém-nascida chora e se salva de enterro em Minas Gerais

Rayder Bragon



Especial para o UOL Notícias


Em Belo Horizonte
 
O empregado de uma funerária da cidade de Araxá (367 km de Belo Horizonte) foi surpreendido nesta terça-feira (2) com o choro de uma recém-nascida cujo corpo era preparado para ser enterrado. O bebê, dado como morto, tinha sido retirado da Santa Casa de Misericórdia da cidade.


De acordo com João Carlos Alves Pereira, 32, a família havia feito contato com ele para buscar o corpo da menina nascida hoje, de forma prematura, na unidade hospitalar.

“O corpo veio em uma caixa de papelão. Ao chegar ao necrotério da empresa, eu fui retirar ela da caixinha para passar para a urna [funerária] e [percebi que] ela começou a respirar e chorar”, relatou.

Pereira disse então que pediu ajuda a um colega de trabalho para verificar se realmente a menina respirava. “Eu o chamei para ver se eu não estava ficando doido. Ele confirmou que ela estava respirando e imediatamente ligamos para a Santa Casa.”

O bebê foi levado até o hospital em um carro particular em companhia do avô e de uma mulher que seria a futura madrinha da criança –ambos estavam no local para acompanhar os preparativos do enterro. De acordo com Pereira, os familiares moram na zona rural da cidade.

“Saiu todo mundo correndo e, chegando à Santa Casa, a própria médica que estava cuidando dela anteriormente a recebeu das minhas mãos”, lembra.

O homem disse ter sentido, ao mesmo tempo, “susto e alegria”, mas afirmou também ter ficado “revoltado” pelo suposto erro da unidade hospitalar.

“Eu nunca imaginaria, nesses 18 anos que eu trabalho aqui, de passar por uma situação dessas. Graças a Deus, eu tive forças para salvar a criança. Não sei quem tem culpa nisso, mas essa situação me causou muita revolta”, disse.

A reportagem do UOL Notícias entrou em contato com o hospital, mas foi informada que ninguém da administração estava no momento para falar sobre o assunto.

O funcionário da funerária disse que um boletim de ocorrência foi feito pela família e que seu nome constou no documento como sendo uma das testemunhas.

A reportagem tentou contato com a família, mas ninguém foi localizado. Já o delegado de plantão da cidade disse que ainda não estava ciente do caso.

PS. Para onde vai meu país? As pessoas DAQUI ESTÃO FICANDO LOUCAS.
      Erro como esse, não pode ficar impune.
      Enquanto isso em Brasília os políticos só não ficam perdidos na hora de armar um plano para desviar recursos do povo.
      Para mim isso vai acabr mal algum dia.
Ed

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Padres acusados de pedofilia terão sentença em setembro

O julgamento dos padres acusados de pedofilia será retomado nesta terça-feira (02), às 9h, na sede da 1ª Vara Judiciária da Infância e Juventude, em Arapiraca. Na terceira audiência, serão ouvidas três pessoas, além dos próprios réus. A sentença deverá ser pronunciada somente em setembro.


O juiz João Azevedo Lessa, que conduz as audiências, disse ao Primeira Edição que a previsão é que o julgamento seja concluído amanhã, porém, poderá haver imprevistos. “Se transcorrer tudo dentro da normalidade, amanhã será concluído o interrogatório dos acusados. Mas, no percurso sempre aparece algum imprevisto. Pode ser, por exemplo, que antes do interrogatório apareça uma testemunha e o advogado e o promotor peçam ao juiz que seja inquerida. Acontecendo isso, o interrogatório não poderá acontecer”, disse.

Ainda de acordo com o magistrado, na parte da manhã serão ouvidas uma testemunha de defesa, uma referida (esta foi inserida no processo e não quer dizer que seja de acusação ou de defesa) e a delegada Bárbara Arraes.

No horário da tarde, será a vez dos réus Luiz Marques Barbosa, Raimundo Gomes e Edilson Duarte serem interrogados.

Após os depoimentos, serão abertas vistas para diligências. “O juiz dá prazo para ser cumprida diligências e depois abre vista para apresentações e alegações finais. A sentença deve sair no começo de setembro”, explica o juiz João Azevedo. “Alguns detalhes previstos no código penal tornam o julgamento demorado”, complementa.

As audiências são acompanhadas pelo representante do Ministério Público, Alberto Tenório, pelo defensor  público André Chalub e pelos advogados de defesa e acusação.

Marcela Oliveira

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Bebedouro(Brasil) registra 9 casos de estupro neste ano


               Dados divulgados pela Secretaria de Segurança Pública do estado revelam que houve nove casos de estupro em Bebedouro somente no primeiro semestre de 2011. A grande maioria dos casos tiveram como vítimas de violência sexual meninas menores de 14 anos, inclusive duas delas com apenas seis anos de idade. Em dois outros casos as vítimas foram garotos com deficiência mental.
De acordo com a alteração feita em 2009 no artigo 213 da lei nº. 12.015, tanto homens quanto mulheres podem ser vítimas de estupro – antes violência sexual masculina era considerada atentado violento ao pudor. A mudança também contribui para dar fôlego às estatísticas.
Segundo a delegada Luciana Pinto Neto, da Delegacia de Defesa da Mulher de Bebedouro, a mudança na lei prevê que estrupro equivale a qualquer ato sexual não consentido - ou presumidamente não consentido - em que haja coito vaginal ou anal. Mas explica também que a prática de estrupro engloba também assédio sexual forçado, mesmo sem o coito propriamente dito. Sexo oral, carícias mais exageradas e até mesmo, dependendo do caso, algumas situações que envolvam beijos podem ser enquadrados como estupro.
De um modo geral, apenas maiores de 14 anos são considerados aptos, psicologicamente, à prática sexual. Por isso, a lei presume que menores de 14 anos são vítimas de estupro em qualque relação sexual, consentida ou não. “Há casos em que a criança, justamente pela idade, presumi-se que nao tem condições psicológicas de dissernir sobre o certo e o errado. Portanto, presumidamente, é estúpro’, detalha a delegada.
Muitos acreditam que o estupro acontece somente nas ruas, com pessoas desconhecidas. Mas é dentro de casa ou na casa de vizinho ou de conhecidos em que os casos mais acontecem. Pais, parentes próximos, conhecidos podem ser os agressores.
Situação encontrada em Bebedouro
Em um dos casos uma menina de 13 anos, que mantinha relações sexuais consentidas com um rapaz maior de idade, engravidou. O caso foi registrado como estupro. Em casos como este a família é quem procura a DDM para o registro.
Em outro caso, uma menina menor de idade fugiu de casa para morar com um rapaz maior de 18 anos. O rapaz confessou que no período em que ela esteve com ele os dois mantiveram relações e ele ainda havia oferecido pílula do dia seguinte à garota. As providências também foram tomadas pela família da menor. De acordo com a delegada, nesse caso houve uma violência meramente presumida.
Uma outra situação ainda mais delicada também foi registrada. Uma mãe havia confiado os cuidados de uma criança de 06 anos de idade a um casal que deveria zelar pela integridade da menor. Mas tempos depois a criança denunciou que o seu tutor praticava carícias, que se enquadraram como abuso sexual.
Uma outra criança, menor de 06 anos, também foi vítima da violência. Um parente próximo, no momento de descuido da mãe da criança, teria trocado carícias com o menor.
Há também casos que ocorreram há muito tempo e somente quando a vítima adquiriu idade capaz para entender a situação foi possível realizar a denúncia, como a exemplo de uma garota de 13 anos que foi violentada aos sete por alguém da família.
A violência é cometida na maioria das vezes com pessoas incapazes de se defenderem, como no abuso de pessoas com deficiências mentais. Um homem já idoso foi flagrado juntamente com um rapaz deficiente mental. Os dois foram vistos desnudos em um terreno e o caso também foi registrado como estupro. Em um outro flagrante da polícia, dois rapazes foram flagrados; um deles apresentava problemas mentais.
Comportamento da criança revela se ela é vítima de abuso
Por não estarem preparadas psicologicamente para o estímulo sexual, crianças podem desenvolver problemas psicológicos após sofrer algum tipo de violência sexual, é o que afirma a psicóloga Maria Aparecida Abbs da Fonseca e Castro, conhecida por Cida.
Ela explica que mesmo que a criança conheça e aprecie a pessoa que a abusa, sentirá profundo conflito por perceber que as atividades sexuais estão sendo terrivelmente más. “Experimentará profunda sensação de confusão, solidão, abandono e medo, principalmente quando ainda é ameaçada pelo agressor”, afirma.
O abuso sexual de crianças pode ocorrer na família, através do pai, padrasto, do irmão ou outro parente qualquer. Outras vezes ocorre fora de casa, como, por exemplo, na casa de um amigo da família, na casa de uma pessoa próxima, na casa de um vizinho, ou mesmo por um desconhecido.
“A criança que é vítima de abuso sexual prolongado desenvolverá baixa autoestima, podendo adquirir uma representação anormal da sexualidade porque perde a confiança nos adultos e tem dificuldades de estabelecer relações harmônicas com as pessoas. Os traumas emocionais permanecem e levam a problemas psíquicos sérios quando adultos, explica a psicóloga.
Para Cida, crianças vítimas de abuso sexual apresentam comportamento diferente das outras. Comumente ficam aterrorizadas, confusas e muito temerosas de contar sobre o incidente. Com frequência, elas permanecem silenciosas por não desejarem prejudicar o agressor ou provocar uma confusão familiar ou por receio de serem consideradas culpadas ou castigadas.
Já as crianças maiores sentem-se envergonhadas principalmente se o agressor for alguém da família. “Alterações no comportamento, no humor, de conduta podem ser indicadores de que algo não vai bem: agressividade, isolamento, alterações no sono, falta de apetite, tristeza, medo. Esses sintomas podem ser representados através de desenhos, estórias, brincadeiras. É preciso estar atento aos menores sinais”, alerta a psicóloga.
Do ponto de vista dos agressores, abusar de menores demonstra que sofrem de transtornos na área sexual. “Podem passar despercebidos e estarem convivendo normalmente, trabalhando, mas acabam se revelando através de atitudes impulsivas e estranhas. Provavelmente sofreram abusos sexuais na infância ou outras formas de violência física ou psicológica, incluindo abandono e negligência familiar”, explica Cida.
CREAS registra 12 casos
De acordo com as entidades que atuam com denuncias e orientação às famílias e crianças vítimas de violência sexual, o número apresentado pela Secretaria de Segurança seria maior se todos os casos de violência fossem levados às autoridades. De acordo com a coordenadora do CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social), Daniela Martins do Valle Campanelli, muitos casos são ‘abafados’ pelas famílias que temem a exposição, ou até mesmo por intimidação do agressor. No CREAS foram registrados 12 casos.

jornal Impacto Bebedouro e Região