ANDI - Agência de Notícias dos Direitos da Infância

http://www.andi.org.br/

Saiba tudo sobre a situação da criança no mundo. Clik aqui para traduzir o Blog. Obrigado.

Clik para ouvir !!!

sexta-feira, 26 de março de 2010

Tensão aumenta diante do fórum onde casal Nardoni é julgado; polícia pede que curiosos deixem o local

26/03/2010 - 16h30


Thiago Chaves-Scarelli

Do UOL Notícias

Em São Paulo

PM aumentará efetivo para conter curiosos

 Homem protesta em favor do casal Nardoni e é vaiado por pessoas na porta do fórum

À espera pelo veredicto sobre o futuro de Anna Carolina Jatobá e Alexandre Nardoni, acusados de assassinarem a menina Isabella, morta aos 5 anos de idade, dezenas de pessoas se aglomeravam na tarde desta sexta-feira (26) diante do Fórum de Santana, na zona norte de São Paulo. Pelo menos dois episódios de agressões física e verbal aconteceram enquanto havia um raro pedido de perdão para os réus.

Entre manifestantes, jornalistas e curiosos, mais de 150 pessoas estão presentes no local. "Vocês estão crucificando essas pessoas igual crucificaram Jesus Cristo", gritou a vendedora Ray Lemos da Mata, 42.

"Se o Nardoni não for condenado, a gente mata ele aqui fora", respondeu o comerciante Carlos Alexandre de Oliveira, 57, que disse ter viajado de Fortaleza para São Paulo na madrugada de hoje só para acompanhar a decisão.

Mais sobre o julgamento

O responsável pela segurança interna do fórum, o capitão Kiryu, da polícia militar, tentava afastar as pessoas da porta do tribunal: "Quem não tiver o que fazer aqui, vá para casa".

A coronel da PM Ricardo de Souza confirmou ao UOL Notícias que, em virtude da expectativa de tumulto na noite de hoje, o efetivo policial de 35 agentes que tem acompanhado o julgamento será reforçado.

Pró e contra

Depois do momento de tensão, a reportagem procurou Ray e Carlos para questionar suas opiniões - e ambos disseram se interessar pelo caso porque viveram caso semelhante na família.

"Cheguei hoje às seis da manhã na rodoviária de São Paulo. Desde o começo eu me interesso. Quando a garota foi jogada, no dia seguinte eu fui visitar o prédio", afirmou Carlos.

Por que tanto interesse? "Vivi um caso semelhante. A gente sente como se fosse da família", acrescentou. "É por isso que a gente larga tudo o que tem para fazer e vem acompanhar".

Ray Lemos da Mata também disse já ter vivido caso parecido - mas, ao contrário de Carlos, acredita na inocência dos réus.

"Acredito plenamente que eles são inocentes. Já vi essa situação. Um familiar foi acusado e preso sem razão, mas depois foi feita justiça", conta ela. "Todo dia que eu vejo esse caso, revivo a outra história".

"Eles são inocentes, Deus vai mostrar quem foi o assassino", defende. "Como pode uma família matar um filho assim? Não é possível."

Questionada se não tinha medo de ser agredida pelos demais, a maioria com camisetas e cartazes contra os Nardoni, ela respondeu: "Se eles me lincharem, eu lincho eles de volta. Não levo desaforo pra casa".

Nenhum comentário:

Postar um comentário