ANDI - Agência de Notícias dos Direitos da Infância

http://www.andi.org.br/

Saiba tudo sobre a situação da criança no mundo. Clik aqui para traduzir o Blog. Obrigado.

Clik para ouvir !!!

sexta-feira, 18 de março de 2011

"Nota" do ensino médio do Estado de SP cai e chega a 1,81 em uma escala de zero a dez

Rafael Targino
Em São Paulo

O Idesp (Índice de Desenvolvimento da Educação de São Paulo), uma espécie de “nota” da educação do Estado, caiu entre 2009 e 2010 nos anos finais do ensino fundamental e no ensino médio. Neste último nível, a nota do ano passado foi 1,81, contra 1,98 em 2009, em uma escala de zero a dez.

Saresp apresentou problemas em gabaritos em Assis (SP)

Capital: 44% dos alunos do médio têm desempenho insuficiente em matemática

Escolas com nota baixa no Idesp precisam acessar dados específicos para melhorar

Nos anos finais do ensino fundamental, a nota recuou de 2,84 para 2,52. Nos inciais, a nota subiu de 3,86 para 3,96. O índice é feito levando-se em conta dados de aprovação, reprovação, abandono e os resultados no Saresp (Sistema de Avaliação do Rendimento Escolar do Estado de São Paulo), composto por provas de português e matemática.

Fazem os exames os estudantes dos 5º e 9º anos do fundamental e do 3º ano do ensino médio. O Idesp também influencia nos bônus por desempenho pagos a professores da rede.

Segundo a secretaria, a redução no 9º ano se deu pelas quedas nas notas de matemática (de 251,5 em 2009 para 243,3 em 2010) e português (de 236,3 para 229,2). Esse mesmo recuo foi registrado no ensino médio, em português (de 274,6 para 265,7) e em matemática (de 269,4 para 269,2).

Quem puxou o crescimento da primeira etapa do ensino fundamental foi a prova de matemática. A nota dos alunos subiu de 201,4 em 2009 para 204,6 em 2010.

Proficiência

A distribuição por níveis de proficiência nos três níveis seguiu o resultado do Idesp, com melhora nos anos iniciais e piora nos finais e no ensino médio

PS. Com lágrimas em meus olhos, veja duas gerações dizimadas pela loucura de certos profissionais do saber, os quais não refletiram na loucuram que estavam fazendo quando resolveram levantar a bandeira do ensino continuado para disfarçar os relatórios internacionais.
Agora merecem ir a julgamento popular pela condenação a escuridão do saber de duas gerações, por enquanto, neste país.
Muito triste e profundamente triste e muito triste mesmo.
Ed

Nenhum comentário:

Postar um comentário