ANDI - Agência de Notícias dos Direitos da Infância

http://www.andi.org.br/

Saiba tudo sobre a situação da criança no mundo. Clik aqui para traduzir o Blog. Obrigado.

Clik para ouvir !!!

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Mais Uma Criança é Morta por causa da injustiça da justiça brasileira

"Um dia após a Justiça aceitar o pedido do Ministério Público e decretar a prisão do técnico judiciário André Rodrigues Marins, pai de Joanna Marcenal Marins e acusado de torturar e matar a criança de apenas 5 anos, a mãe da vítima, a médica cardiologista Cristiane Marcenal, afirmou que o seu maior consolo hoje “é perceber que as pessoas estão vendo agora que eu não era uma louca desvairada gritando que minha filha estava doente”. “Tudo que eu falei foi provado de modo muito mais firme do que eu afirmei, na verdade”, completou Cristiane".

Este foi um trecho de uma entrevista dada pela mãe de Joana ao UOL Notícias.

Fico imaginando como uma mulher que é médica cardiologista foi tratada como uma louca diante de uma psicóloga e uma juíza?

Fico pensando como uma psicóloga e uma juíza, se unem, para tratar esta médica cardilogista como louca?

Alguma coisa não está certa neste país, alguma coisa está muito errada.
Chego a conclusão que todos, na verdade, têm medo de enfrentar o mal, as coisas erradas e quando alguém se levanta cria-se um motivo banal para destruí-la.

Este motivo banal, custou a vida de uma criança.
Esta proteção que deram ao pai da pequena Joana, levou-a para a sepultura.
A atitude desta psicóloga e desta juíza, que ninguém sabe o nome, teve como consequencia a morte de uma inocente.

O que estamos fazendo nesta Terra???????
O que queremos com esta vida?
Chegar ao fim e dizer que não temos pecado algum?
Chegarmos diante de DEUS e dizer que não tivemos culpa?

Como fica nosso silêncio diante de pessoas que foram colocados como autoridades e que colaboraram com este assassinato?
Só o pai que deve ser preso?

Agora esta mãe, que é cardiologista, vai enfrentar sozinha a justiça com o objetivo de conseguir justiça?

O jornalista Datena da tv e rádio bandeirantes, apresentou bem claro, o ocorrido.
Disse que foi por questões de costa larga, que a psicologa e a juíza deu a guarda ao pai e chamou a mãe de louca, ameaçando de prisão se ela não entregasse sua filha para aquele pai louco e assassino.

Fico pensando se a mãe da pequena Joana soubesse que estaria entregando sua querida filha para ser morta, o que ela faria com este mandato judicial?
Mas uma coisa tenho certeza, que esta psicologa e esta juíza têm culpa no cartório.

Pela entrevista do Datena, a mãe de Joana não é louca.

Então quem é louca nesta história??
Porque razão estamos em silêncio?
Não, eu não vou ficar esperando chegar ao fim de minha vida e dizer que o problema não era meu.

Isto me lembra o caso de Ribeirão Pires, onde duas crianças foram mortas e esquartejadas pelos pais, quando foram obrigados pela "justiça" a voltarem para casa, sendo que elas imploravam para não ir.

Como ficou este caso?
O mesmo aconteceu com mais uma criança?
Ah, é só mais uma criança, quem liga para mais uma criança?

É só mais um erro da justiça.
Ah, quem liga para mais um erro da justiça?

Eu pergunto, seria mesmo mais um erro, ou seria uma atitude de cooperação com este ato de crueldade?
Quem são na verdade os assassinos?

Deixa o tempo passar e logo todos esquecerão do que aconteceu e os assassinos ficarão livres e impunes, como o caso do assassino da ex-namorada, o jornalista Pimenta Neves, réu confesso, julgado e condenado em primeira e segunda instâncias, continua livre. Como isso é possível?


Ia escrever "com a palavra as autoridades..." , mas acredito que talvez estas autoridades estejam do lado do assassino.

Quem diria "a justiça do lado da injustiça".

Como fica nossa justiça agora?
Eu não vou ficar em silêncio, não sou louco de um dia comparecer diante de meu DEUS e dizer que não era comigo.
É assunto de todos os brasileiros sim, nosso silêncio é o nosso passaporte para a morte.

Ed

Nenhum comentário:

Postar um comentário